Em conformidade com os Estatutos, convoco uma Assembleia Geral Ordinária da Frapviseu – Federação Regional das Associações de Pais de Viseu, a realizar no próximo dia 13 de Março de 2021, pelas 10h, via Zoom, com a seguinte ordem de trabalhos:


1 – Informações;

2 – Apresentação, discussão e votação do Relatório e Contas do ano de 2018-2020;

3 – Eleição dos Novos Órgãos Sociais;

4 – Designação dos Representantes da Frapviseu para o Conselho Municipal de Educação da Câmara Municipal de Viseu

5 – Outros assuntos de interesse para o Movimento de Pais.

Para dar cumprimento ao ponto número 3 da ordem de trabalhos cabe aos interessados em enviar proposta de lista para o endereço Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. até ao dia 11 de Março de 2021. No dia da Assembleia Geral a votação será realizada conforme decisão a tomar e à distância durante a própria Assembleia.


Se á hora marcada não estiver presente o número de sócios indispensável ao funcionamento da Assembleia, esta, reunirá meia hora mais tarde com qualquer número de Sócios.


Viseu, 19 de Fevereiro de 2021

Rui Martins

Presidente da Assembleia Geral da Frapviseu

 Publicação: Diário da República n.º 15/2021, 1º Suplemento, Série I de 2021-01-22
  •  Emissor:Presidência do Conselho de Ministros
  •  Entidade Proponente:Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
  •  Tipo de Diploma:Decreto-Lei
  •  Número:8-B/2021
  •  Páginas:29-(11) a 29-(14)

Decreto-Lei n.º 8-B/2021

de 22 de janeiro

Sumário: Estabelece um conjunto de medidas de apoio no âmbito da suspensão das atividades letivas e não letivas presenciais.

Numa semana, 40 turmas no concelho de Viseu ficaram com as aulas suspensas. Neste momento, segundo as contas da autarquia, há mais de 100 turmas ou salas de aulas em confinamento preventivo por causa da pandemia. Números que levam o presidente da Câmara, Almeida Henriques, a exigir o encerramento das escolas do terceiro ciclo e secundário.

O pedido já foi enviado para a Direção-Geral da Saúde e a Direção dos Estabelecimentos Escolares, mas o autarca reforça que não há condições para se manterem as escolas abertas num concelho que tem, em média, 120 casos por dia.

“O direito à educação será mais facilmente garantido através do ensino à distancia do que neste modelo em que muitas das turmas estão em casa, alunos em isolamento outros no estabelecimento, há professores que faltam e não se conseguem substituir, há falta de auxiliares. Estamos a chegar a uma situação de rutura”, sustentou.

A reabertura dos centros de atividades de tempos livres (ATL) para crianças até aos 12 anos, decidida pelo Governo, está a dividir médicos e pais devido aos eventuais riscos de contágio por Covid-19. Pelo contrário, os centros de dia vão ter de encerrar devido a esse mesmo risco.

Os ATL voltam, assim, a abrir depois de terem estado encerrados na semana passada com o novo confinamento. A secção regional do Centro da Ordem dos Médicos contesta esta medida, considerando que a abertura dos tempos livres irá agravar o risco de contágio junto dos mais novos.

O presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, assume ser contra a abertura dos ATL e também defende o encerramento das escolas.